A noite do Recife “é curta”

Cg2UV3kWYAAFfOA

Por Alessandro Matias

Não foi a primeira, e não vai ser a última vez que jogadores de futebol tomam a sua cervejinha após um jogo. Geralmente, para quem não é viciado, a bebida alcoólica é sempre associada para comemorações: títulos, conquistas inesquecíveis e etc. É assim com champanhe, cerveja ou mesmo o vinho.

Existe outra premissa que “proíbe”que atletas ou qualquer clube ligado ao esporte, de alta competição, de misturar as imagens e símbolos do clube com bebidas alcoólicas e cigarros. E isso é regra basilar para qualquer “marketeiro” de carteirinha, estagiário ou ainda estudante. Todos saem perdendo: símbolos, atletas, clube e o pior, a imagem da instituição.

Ontem o Sport fez um jogo pífio. Mais um entre tantos. Se classificou diante de um limitado Salgueiro, pelo fraco Campeonato Pernambucano e os jogadores (alguns) não perderam tempo! Afinal, a sede era grande! Só não é grande a sede de jogar bola e se dedicar (alguns) 100% aos treinos. A cerveja foi tomada dentro do ônibus do clube e ainda com o escudo do Sport Club do Recife fazendo pose para fotos não muito honrosas.

Do outro lado, da cadeia futebolística, estão os torcedores: que pagam, choram, se emocionam e que não bebem quando o clube está passando por maus bocados. A prova é tanta que basta olhar o movimento do bar, na sede do clube, após apresentações medíocres ou de eliminações mesmo que honrosas na apresentação do time.

Para piorar, também não é a primeira vez que se tem, em elencos de futebol, aquelas “frutas” em estado de decomposição. As famosas frutas podres: que em contato com as outras vai contaminando o ambiente.

Dizem que a noite, em um tal de Villa Arena e o “tira gosto” da Ilha dos Navegantes são bons exemplos da noite recifense. Principalmente, nas quintas-feiras (até poucos minutos antes do sol nascer). E claro, sempre acompanhado das melhores “meninas” do bairro mais famoso do Recife.

Mas eu vou parar por aqui. Afinal, isso é assunto para colunista social. Aqui é somente Sport e futebol.

 

Alessandro Matias é editor do site Eu Pratico Sport

O texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Leões do Cerrado

rodape

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *