Além de representar, a diretoria do Sport tem que convocar a imprensa para gritar contra o juiz

cbf

Por Alessandro Matias

Mais uma vez a arbitragem foi um dos protagonistas de uma partida do rubro-negro pernambucano. Rodada após rodada é como dizem, de forma ridícula, nas redes sociais: “é o que temos para hoje”. Virou rotina.

Só que isso não pode ficar assim. Já não basta de escândalos envolvendo o futebol brasileiro? Exigir juízes preparados tecnicamente e, principalmente, emocionalmente é um requisito que não foge o direito de nenhum clube, de nenhuma série.

O que se viu ontem foi mais do que absurdo. Foi um escândalo! Um pênalti não marcado, ou melhor, marcado, em frente da “autoridade”, e logo em seguida voltando atrás?

Sempre dou uma amenizada nos comentários contra arbitragens. É muito fácil fazer uma crítica crucificando um juiz minutos depois e vendo o lance duas, três, quatro vezes. Defendo que quando eu não posso ter critério do sim ou do não, no momento do lance, eu não tenho o direito de ter um juízo de valor e decretar uma falha de qualquer profissional da arbitragem mundial.

Entretanto, o senhor juiz estava perto da jogada, marcou, voltou atrás e ainda, para piorar, inventou que a falta foi cometida fora da área. Erros ocorrem até nos comentários, o que dizer naquele segundo precioso que o juiz tem para decidir? Foi mais além do que um erro. Ele amarelou! O motivo? Só ele sabe e pode explicar.

A diretoria rubro-negra tem que ultrapassar o limite de apenas representar contra esse cidadão. Os líderes rubro-negros têm é que ir para a imprensa gritar e mostrar a indignação de toda a nação do leão que estava presente ou que assistia pela TV.

Têm que fazer o que os grandes nomes do passado (diretores) faziam há alguns anos atrás: convocar a imprensa local e nacional para demostrar a indignação. Representar, apenas, no momento é fazer o comum. E “o comum” já passou dos limites. Um verdadeiro grito!

Quem muito se baixa…

Alessandro Matias é editor do site Eu Pratico Sport e blogueiro do Globoesporte.com

O texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Leões do Cerrado.

rodape1

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *