Ao final, o Sport somou um ponto importante contra um adversário direto

Campeonato Brasileiro Série A - Grêmio x Sport

Por Alessandro Matias

 

O Sport enfrentou ontem um grande desafio: empatou com o Grêmio, fora de casa, e encarou um adversário direto na luta pela permanência no G-4. Vinha dizendo na última postagem que seria mais difícil enfrentar e ganhar da Chapecoense, na casa deles, do que vencer o Grêmio na Arena tricolor.

E ontem foi o que veríamos se não fosse a postura defensiva adotada pelo técnico rubro-negro. Respeitou demais. Com um primeiro tempo em que o leão deixou o adversário jogar na primeira etapa, Eduardo Baptista escalou um time que se posicionava com muito mais proteção no meio de campo para a zaga do que, propriamente, valorizando o ataque.

A prova foi tanta que o Sport sofreu um gol nos primeiro 45 minutos e praticamente só entrou em campo na segunda etapa. Se alguém lembrar de um chute para o gol do Sport nos primeiros 45 minutos…

Eduardo Baptista vem se caracterizando como um grande treinador. Vem em uma escala ascendente e é visível a sua evolução técnica e dos seus comandados no passar dos dias. Todavia, isso não garante que ele não vai errar.

De forma alguma penso como postura correta atacar como índio ou defender em demasia. Há de se registrar que a característica principal do time é, em primeiro lugar, a marcação e fechamento dos espaços, a tomada de bola e o seu ataque veloz e eficaz.

Unir a eficiência com a eficácia é um trunfo muito difícil para qualquer equipe de qualquer esporte. No leão vinha sendo assim. O problema é que, vez em quando, o comandante tem um acesso de “convicção” e erra. Vou logo dizendo para aqueles que somente enxergam o fim do mundo: ele tem esse direito. É qualificado, vem com moral e, assim como qualquer outro, vai errar mais vezes.

A entrada de Elber no lugar de Mancha deu uma nova força para a equipe, pelo menos por alguns minutos. Segundo o treinador, este não entrou de frente por sentir um desconforto na perna. O time cresceu um pouco no segundo tempo e conseguiu fazer o que a grande torcida do Sport já esperava no primeiro tempo: gol.

Sinceramente, não tiraria o André de um jogo desses. É artilheiro e vem fazendo diferença. Um jogador de frente, mesmo sentindo cansaço, é um perigo para a meta adversária e impõe respeito. Sem falar que André vinha segurando dois jogadores do tricolor gaúcho. Percebam: logo com a saída dele o time caiu e o Grêmio foi para o ataque novamente. O mesmo digo para a saída de DS87. Restou evidenciado que o time perdeu com as saídas.

Ao final, e dentro do contexto, o Sport somou um ponto contra um adversário direto. Poderia ter ido mais longe, sim. Só que, do outro lado, tinha um time de primeira divisão (também).

Alessandro Matias é editor do site Eu Pratico Sport e blogueiro do Globoesporte.com

O texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Leões do Cerrado.

rodape1

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *