Quem tem boca vaia Roma ou quem tem boca vai a Roma?

28 de fevereiro de 2016

Por Ivo Mascena O ditado é conhecido, mas recentemente foi questionado em sua grafia e, consequentemente em seu sentido. A versão tradicionalmente evocada fala sobre como se chegar a algum lugar: quem tem boca (e não tem vergonha de perguntar) vai a Roma. Na profusão de informações falsas e verdadeiras da Internet, surgiu a tese de que não era “vai a” e sim “vaia” Roma. Para embasar esta hipótese, falou-se…

Read More >>

Um rubro negro no Itaquerão

15 de agosto de 2015

Por Ivo Mascena Uma viagem a trabalho acabou propiciando a oportunidade de estar em São Paulo durante o mesmo período em que o Sport jogaria contra o Corinthians. Comecei a tentar algum contato com alguém da Leões de Sampa pelo Facebook para saber como deveria proceder, quando comprar o ingresso, que horas chegar, etc. Um colega paulista da empresa que também tinha ido para a reunião e que, coincidentemente, trabalha…

Read More >>

Quarta-feira, ah, quarta-feira…

11 de julho de 2015

  Por Ivo Mascena Foi um dia longo. Ansioso, como sou, a quarta-feira começou no domingo anterior. Sport e Atlético fariam um jogo bastante esperado. O Atlético, apontado por muitos como o eventual campeão deste ano, tem um time muito forte. Do gol ao ataque, um time cheio de bons jogadores. Um técnico experiente, mas não ultrapassado e que está há um bom tempo no comando. Uma torcida que facilmente,…

Read More >>

Os números não mentem

Por Ivo Mascena Chegando perto do jogo contra o Vasco, a torcida rubro-negra está otimista em relação ao resultado. A vitória é muito importante. Primeiro, pelo Sport estar jogando em casa. Como já escrevi em outro post, perder ponto em casa não pode ser considerado um resultado normal para quem quer alguma coisa. Segundo, pelo momento que vive o adversário. Se estivermos tratando de futebol, nos últimos anos passaram a…

19 de junho de 2015
Read More >>

Caiu na Ilha é Fariseu

Por Ivo Mascena “Eu, eu, eu: caiu na Ilha é Fariseu! “ . A Ilha de Lost. Jogar na Ilha é muito difícil! A torcida do Sport incentiva o time o tempo todo. Bombonilha… O fator Ilha sempre foi um importante aliado para nosso time. Um peso grande para fazer uma boa campanha – ou para não cair. O estádio com estrutura antiga mas com uma acústica que reflete todo…

23 de maio de 2015
Read More >>

Sula ou Copa do Brasil: é essa a questão?

Por Ivo Mascena De um lado, um torneio milionário. De outro, uma copa reconhecida como a segunda mais importante do Brasil. Por questões de regras e calendário, há um estrangulamento no meio do caminho que pode levar uma equipe que participe simultaneamente dos dois certames a ter que optar por um deles. Não acho que seja oportuno aqui discorrer sobre qual dos torneios deveria ser escolhido (e já há declarações…

15 de maio de 2015
Read More >>

Ligações Perigosas…

  Por Ivo Mascena – Graaaaannnde Mário! – Fala, Almeida. Tudo beleza? – Tudo, tudo. E aí? Vamos ter business para o brasileirão? – Lógico, né? Que é que tu tens aí? – Cara, tô com um volante muito bom: o Fernando Azevedo.

12 de maio de 2015
Read More >>

Novos Cabras da Peste

Por Ivo Mascena O termo cabra de peste é um regionalismo muito conhecido no Nordeste. Sua origem provável é uma derivação do termo cabrão, que em português de Portugal era utilizado para designar homens ruins. Cabrão da moléstia, diziam. O termo, contudo, foi se desviando de seu sentido original até passar a ser um elogio, talvez por haver no nordestino esse olhar dual entre o medo e a admiração às…

5 de maio de 2015
Read More >>

A cura da tronchura pela repetição

Por Ivo Mascena Whiplash! Que diabo é isso? Eu não sei, mas para manter a graça, não fui atrás de saber… Bem, mesmo sem saber, assisti a um filme nessa última rodada do Oscar com esse nome. Até pensei que era sobre uma música do Metallica, na fase em que Hetfield, Ulrich e Kirk Hammet eram ricos – de espinhas. É, errei de ritmo. O filme, quer dizer, o filmaço,…

25 de abril de 2015
Read More >>

A maldição

Por Ivo Mascena Sabe aquela tranquilidade que tem um torcedor quando sabe que seu time começa o jogo com uma expectativa alta de um determinado jogador fazer um gol ou dar uma (perdoem-me os puristas) assistência? O matador, normalmente vira ídolo. Afinal, como enfatizava Alexandre Santos na abertura de seu programa na Bandeirantes, com uma voz ao estilo dos antigos narradores, o gol é “o grande momento do futebol”.

22 de abril de 2015
Read More >>