Coritiba x Sport: uma vitória cairá como um anti-inflamatório para o elenco rubro-negro

spoxcor

Por Alessandro Matias

Hoje temos uma partida que pode ser considerada com um contexto antagônico. De um lado um clube que vem de uma boa sequência de jogos com vitórias e disputando para fugir da zona do rebaixamento. Do outro, um clube que foi, até bem pouco tempo, a surpresa boa do campeonato que ocupa a oitava posição do Brasileirão 2015 e não vem de uma boa sequência nos seus últimos resultados.

O torcedor rubro-negro trocaria de condição com o torcedor paranaense? Claro que não!

O Sport enfrenta, hoje, o Coritiba em uma partida válida pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ontem o time fez um treino no sul do país, no centro de treinamento do Atlético-PR. Em virtude do número limitado de jogadores no elenco e levando em conta o desgaste por conta da maratona de jogos, a movimentação de ontem se limitou ao famoso rachão.

Em um outro momento, antes da descontração da disputa do rachão, aconteceu uma movimentação voltada aos cruzamentos e às finalizações.

O Leão entra em campo em busca da sua primeira vitória. E a torcida quer ver um bom resultado fora de casa. É preciso e necessário que o time se fortaleça com uma vitória.

Hoje é um daqueles jogos em que o torcedor e a imprensa colocam para o Sport com o jogo para pontuar. Claro, respeitando sempre o adversário. Ninguém aqui está colocando o Coritiba, mesmo na situação difícil em que vive, como um time sem qualquer pretensão de vitória no jogo de hoje. Sabe aquele pensamento de início de ano que colocava o Sport em “um campeonato paralelo”? Pois é: hoje é um jogo que tem um adversário dentro desse contexto, mesmo em se tratando de situações totalmente opostas.

Uma vitória cairá como um anti-inflamatório para o elenco rubro-negro.

Provável Coritiba: Wilson; Leandro Silva, Walisson Maia, Juninho e Carlinhos; João Paulo, Cáceres, Lucio Flavio e Esquerdinha (Thiago Lopes); Rafhael Lucas (Evandro) e Henrique Almeida.

Provável Sport:Danilo Fernandes; Ferrugem, Matheus Ferraz, Durval e Renê; Rithely, Wendel, Diego Souza, Marlone e Maikon Leite; André.

O apito é por conta de Wilton Pereira Sampaio com o auxílio de Emerson Augusto de Carvalho e Cristhian Sorence.

rodape1

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *