Meta: cobrar da diretoria com ênfase em 2015 não vai ser tarefa fácil

FOLHA DE PERNAMBUCO - 81 3425.5834
FOLHA DE PERNAMBUCO – 81 3425.5834

Por Alessandro Matias

Ontem foi divulgada a famosa lista de reforços do Sport para 2016. E Vamos combinar que não é famosa pelo peso das contratações e muito menos considerada de primeira linha. Tenho dito, para os mais chegados, no dia a dia, que o Santa Cruz ter subido foi muito bom para o futebol de Pernambuco e, principalmente, para o Sport. Com isso, aumenta, desde o início do ano, a responsabilidade da diretoria. Quem ganha? A torcida do Sport.

O pior é que tem gente que acha o contrário. É a velha cabeça dura e que nivela o futebol por baixo. Antes que digam, esse discurso não é de torcer pelo adversário. É torcer para que o outro exija mais e mais do Leão. E o clube já deu mostra de que os seus diretores se acomodaram em alguns anos passados, não? E é, também, nesse sentido que eu tenho acreditado no ano de 2016. Isso sem falar da cobrança por uma campanha melhor do que foi no ano corrente.

Voltando ao assunto “reforços”, é claro que ontem foi uma chuva de reclamações e os velhos “Cavaleiros do Apocalipse”. Como todo ano, a mesma resenha. Afinal, torcedor do Sport não pode deixar de reclamar.

A lista, como dito, ficou longe de ser boa. Se tem alguma coisa que foi melhor do que o ano passado, foi o clube anunciar nomes antes mesmo do final do ano. Há alguns anos que o Leão vem dizendo que dezembro e janeiro era de mercado aquecido. Só que isso apenas não basta. É preciso nomes que segurem a torcida e o elenco para a próxima temporada.

Referências para o meio de campo e ataque serão mais do que necessárias. Contudo, nomes que façam o mesmo efeito dos que saíram, serão difíceis: Diego Souza salvou o time em vários momentos, Marlone foi um ótimo meia e André superou a sí próprio em matéria de futebol e gols. Isso sem falar na reserva do Brocador, que deu sinal de que com alguns jogos daria liga.

Portanto, é cobrar da diretoria com ênfase em 2015 e, ao mesmo tempo, sabendo que a tarefa não vai ser fácil. Isso trazendo para o exemplo dos nomes que fizeram parte do elenco (meio de campo e ataque) de 2015. É bom lembrar, também, que o clube tem que formar um elenco. Esse ano ficou mais do que evidenciado que o Sport precisou de peças para reposição na longa caminhada da primeira divisão e ficou apenas na esperança. É o gosto de que a possível economia saiu caro. Ou foi falta de experiência? Por pouco não vai jogar a Libertadores de 2016.

De resto, é aguardar com paciência e como venho dizendo: não entrar na “pilha” de alguns.

 

Alessandro Matias é editor do site Eu Pratico Sport

O texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Leões do Cerrado

rodape

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *