Nunca duvide do Sport

Por Zé Henrique

 

Nunca duvide do Sport em uma decisão ou em qualquer outro jogo emoção

Foi com emoção, muita emoção, suor, briga (da boa e da ruim), mas principalmente, com muita vontade, com garra, com o “sangue nos olhos” , que a torcida sempre pede. O Sport foi Sport e mostrou o peso que representa ser o maior clube do Norte e Nordeste do Brasil. O Santa entendeu o que significa o mantra Nunca duvide do Sport

Vontade
Se não foi uma partida brilhante tecnicamente, foi a primeira vez no ano em que se percebeu o time com real vontade de ganhar no campo. Talvez com orgulho ferido depois do jogo passado na Ilha, onde Pitbull bateu repetidamente no escudo do Sport, ou talvez resolveram acordar, afinal!

Santa
O Santa veio com a postura que lhe caracterizou nos últimos anos: uma defesa extremamente bem montada e difícil de ser ultrapassada. Para complicar tudo, Diego Souza sentiu uma lesão na coxa no começo do jogo e saiu para a entrada de Everton Felipe, que entrou dando o cartão de visitas e colocando o Sport definitivamente no jogo.

Everton Felipe
O primeiro toque na bola do camisa 97 foi uma bola dentro da grade área, que ele pegou de primeira, na veia, como dizia meu avô; um canhão com o pé direito tão forte que Julio César quando pensou em se mexer, Everton já estava comemorando o gol. Poeticamente, a bola resolveu bater no travessão e no chão, sem estufar o fundo do barbante, apenas para dar aquele segundo de dúvida, mas não havia… Sport 1×0.

Everton foi comemorar provocando a torcida do Santa e aí choveram sandálias, copos, latas e todo tipo de objeto que tivesse à mão. Algo lamentável e que deve ser punido com severidade. Não se pode mais admitir este tipo de coisa.

Segue o jogo
O jogo seguiu com o Sport tentando ampliar o placar, mas falhando muito na transição do meio para o ataque e com uma defesa insegura, principalmente porque Ronaldo Alves não tinha condições físicas de jogo. Thomás e Pitbull jogaram efusivamente nas costas do zagueiro. Com Bocanegra, na vaga do camisa 3, o Santa tentou e Pereira chegou a perder um gol sem goleiro, mas o jogo seguiu em modo equilibrado. Bocanegra ontem, fez uma grande partida e foi um xerifão na zaga.

Equilibrio e Rithely
O equilíbrio se deu até um lance no meio campo; Rithely e Leo Costa disputaram um bola e o camisa 12 do Sport pisou no jogador do Santa, em um lance, que mais pareceu acidente de trabalho do que maldade, começou uma confusão, briga com ELicarlos dando tapa em Durval e com Ronaldo devolvendo a “gentileza” na cara de Pitbull. Resultado: Rithely e Elicarlos expulsos.

Ao sair, o camisa 21 provocou a torcida com o sinal “segunda divisão” e outra chuva de copos, latas e afins foram na direção do jogador.

André
Pouco depois, o jogo seguiu e Samuel Xavier arrancou pela direita, tentou cruzar, acertou um adversário (nenhuma surpresa nisso) , mas a bola sobrou na entrada da grande área e André, de primeira e de pé direito, acertou um chute no contrapé de Júlio César que nada pode fazer; foi o gol da classificação, mas não apenas isso, foi o gol da rendenção do camisa 90, que tanto vinha sendo criticado. Ele extravasou, gritou, correu e comemorou muito e mereceu pelo bom jogo de ontem.

Descontrole
A partir daí, o Santa perdeu o controle emocional e teve outros 2 jogadores expulsos e foi incapaz de tentar qualquer tipo de reação. Classificação heroica do Leão da Ilha, merecida, pois foi na bola, dentro das quatro linhas com um futebol ofensivo. Parabéns ao SPORT!

PORÉNS
Juiz
Pífio, tendencioso, fraco, caseiro e, em parte, responsável pelo descontrole do jogo. Não tem condições de apitar um jogo do tamanho do de ontem.

Ritchely
Perdeu a mão e a razão chamando o Arruda de chiqueiro. Não precisava cometer o mesmo erro de Pitbull para devolver a provocação.

PELO SPORT TUDO!

 

Zé Henrique* é colunista do site parceiro Canelada F.C.

O texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Leões do Cerrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *