O início da temporada 2016 do Sport tem tanta novidade que daria até dois posts bem recheados

mco_0166

Por Alex Amaral (@PsychedelicPE)

O início da temporada 2016 do Sport tem tanta novidade que daria até dois posts bem recheados.

A disputa da Taça Ariano Suassuna já virou tradição na abertura da temporada do Sport. Ano passado, disputamos uma dura partida com o Nacional-URU. Esse ano, o adversário era um pouco mais fraco, mas também bastante tradicional: o Argentinos Jrs. Tido como um dos maiores berços de craques no futebol portenho, o time argentino veio com meio time reserva, mas alguns nomes de destaque como Latauro Rinaldi (pretendido pela diretoria Rubro-Negra) e a curiosa promessa Sebá Riquelme (irmão do ex-camisa 10 do Boca Jrs).

Em campo, vimos dois jogos diferentes de 45 minutos cada. No primeiro, jogou o time supostamente titular com Danilo, Samuel, Matheus, Durval e Renê; Rithely, Serginho e Everton; Mark, Lenis e Túlio. No segundo, entrou em campo outros onze (Magrão, Ronaldo, Luiz Gustavo, Henriquez e Christiano; Páscoa, Luiz Antonio e Neto; Maicon, Fábio e Wallace) que devem ter chances na disputa do Pernambuquinho.

Desde o início da pré-temporada, Falcão sempre enfatizou a intenção de montar duas equipes competitivas e nessa partida deu pra ver que ele deve continuar trabalhando pra que essa competitividade realmente aconteça. O primeiro tempo foi de domínio claro e incontestável do Sport. Lenis e Everton Felipe mostraram que têm talento e criaram a maior parte das jogadas de perigo. Eles municiaram bem os companheiros Mark Gonzalez e Tulio de Melo com criatividade, velocidade e, sobretudo, verticalidade. A defesa também foi bem e não comprometeu, apesar de eu ter reparado que em alguns momentos faltou compactação no meio de campo. Isso é fácil de se corrigir com treinamento e entrosamento. Resultado do bom futebol, marcamos dois gols rapidamente e dominamos o jogo.

Já no segundo tempo o que se viu não foi lá muito empolgante. Tivemos como destaque positivo a atuação de Ronaldo na lateral-direita, mas acho que parou por aí. Os dois zagueiros ainda não podem ser julgados, pois nunca haviam jogado juntos. Então, acredito que eles podem melhorar muito. Senti também que nos faltou criatividade na frente. Pra mim, Neto poderia render muito mais sem o peso de ser o principal articulador das nossas jogadas de ataque. Além disso, Maicon mostrou que é voluntarioso e quer contribuir com time de qualquer maneira, mas como ponta ele me parece um ótimo lateral. Quanto aos meninos da base Fábio e Wallace, eu tenho certeza de que eles são diamantes brutos e, por isso, não podem ser jogados numa fogueira.

É por isso que festejo a boa exibição do primeiro tempo e o bom início de temporada que já rendeu troféu, mas faço ressalvas. Ainda temos que gastar dinheiro e trazer um meia e um atacante. Isso evitará improvisações desnecessárias e valorizará o valioso patrimônio que as categorias de base podem nos render.

Em resumo, é sempre muito bom rever o Sport jogar na Ilha do Retiro, mas Ariano estaria com uma expressão mais feliz do que a de sua estátua se a etapa complementar fosse mais parecida com a primeira.

Alex Amaral mora no Rio e é colunista do site Canelada F.C.

O texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Leões do Cerrado.

rodape

This article has 2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *