O projeto “Consulado do Leão” precisa de força e dar vantagens ao associado fora de Pernambuco

1446249827-consuladoleoesdesampa

Por Alessandro Matias

Essa ideia de explorar as bases rubro-negras fora do domínio do estado de Pernambuco não é nova. Nós, aqui no Eu Pratico Sport, dentro dos nosso limites, já implantamos (e tentamos aumentar) alguns links, no nosso site, de endereços (de locais) que os torcedores do Sport se reúnem para assistir aos jogos do Leão fora do Recife. E isso tem acontecido de forma gratuita e para que o torcedor do Sport tenha, em nosso site, as informações de uma verdadeira revista eletrônica do Sport. É assim com os torcedores: em Brasília, nas Alagoas, em Aracajú (em dois locais diferentes) e em São Paulo, onde foi divulgado e “inaugurado” o primeiro Consulado do Leão.

Nós, aqui, já postamos várias vezes as reuniões e festas dos “points” fora do estado. Inclusive, indicamos o atual Consulado, em São Paulo, para que o Presidente Martorelli assistisse a partida do rubro-negro, pela Copa Sul-americana, recentemente. Na ocasião, o mandatário estava em compromissos na capital paulista.

Interessante dizer que, pelo pouco que soube, o tal falado “Consulado do Leão”, vai correr o risco de ficar apenas em mais um nome dado para o local que já era famoso e conhecido por todos. Na oportunidade, e inauguração do nome, houve muita festa e a presença de lideranças do Sport dentro e fora dos gramados. Só que isso é apenas o início.

O que precisa, além de ser o que já era, é ser mais um local em que o pernambucano se envolva muito mais do que cantar o hino do clube ou vestir as cores da bandeira rubro-negra. Ser bem recebido, isso já acontecia. É bom que tenha algo a mais: alguma vantagem em ser sócio do clube, mesmo à distância e etc.

Dificilmente, um torcedor vai se habilitar para se associar apenas por ser torcedor do clube ou porque tem um vínculo emocional com o Sport, mesmo que distante. E se acontecer, serão poucos exemplos. Os estudos mostram e provam essa linha de pensamento. Caso contrário, já seria um sucesso sem ter investimento nenhum fora da Ilha do Retiro, não?

É preciso despertar essa turma. São Paulo é conhecida como uma capital nordestina fora da nossa região. É elementar fazer algo que mova os soldados rubro-negros e que, ao mesmo tempo, cada novo sócio tenha convicção da sua importância fora do seu estado natal. Caso contrário… Cairá na mesmice.

O próprio Presidente fala que o torcedor tem que ser tratado como um cliente. Que tal, só para exemplificar: o torcedor, em São Paulo, pagar uma quantia menor (proporcional) do que o torcedor em Recife e ter o direito de assistir aos jogos gratuitamente? Pode ser somente em jogos na capital paulista ou em todo o estado. Depende da estratégia. Bom lembrar que essa ideia também é velha. Entretanto, tem movimentado, e muito, a torcida do tricolor da Bahia. Que tal vender camisas oficiais do clube, para o novo associado, com a marca do “Consulado do Leão” e disponibilizar algumas vantagens agregadas?

Se não movimentar, de forma hábil, o Consulado do Leão corre o risco de ser, somente, mais um grito que não terá eco fora dos domínios da Ilha. E o pior é cair como uma ação populista, do atual Presidente rubro-negro, nas inaugurações. E sabemos que esse não é o objetivo de Martorelli.

 

Alessandro Matias é editor do site Eu Pratico Sport

O texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Leões do Cerrado

rodape

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *