O terceiro inferno astral de Eduardo Baptista

11923318_873078449445381_1014369719_n

Por Alex Amaral

Para os astrólogos, o inferno astral é um período em que nossas energias estão em baixa, por conta da posição do Sol em nosso mapa astral. Por isso, nesse período nos tornamos propensos a adoecer e as coisas simplesmente não dão muito certo, por mais que nos esforcemos. A situação atual do Sport na Série A parece apontar para um desses períodos negativos. Vejam os dados:

Nossa última vitória aconteceu há mais de um mês (2 x 0 contra o São Paulo, em 19/07/2015). De lá para cá, amargamos quatro empates e duas derrotas pelo Brasileirão e ainda mais duas derrotas pela Copa do Brasil e Copa Sul-Americana. Algumas dessas partidas foram até aceitáveis, como a derrota pro Corinthians, em que o time lutou muito e não jogou a toalha, mesmo diante de um adversário tão forte. Outras, porém, foram lamentáveis. É o caso do 0 x 0 melancólico em casa contra o Cruzeiro, da derrota diante do Bahia pela Sul-Americana e do último revés diante de um time limitadíssimo como o do Figueirense.

Sob o comando de Eduardo Baptista, já enfrentamos situações críticas como essa. Quem não lembra dos oito jogos sem vencer no Brasileiro do ano passado? E a crise que quase derrubou o treinador logo após a eliminação da Copa do Nordeste desse ano? Sim, esses fatos ficam marcados na memória do torcedor. Eles não se apagam assim como num passe de mágica. Portanto, se Eduardo está mesmo num inferno astral, podemos considerar que este é o terceiro inferno astral pelo qual ele passa em pouco mais de um ano e meio à frente do Sport.

Há quem realmente acredite em astrologia e não saia de casa antes de consultar os astros, mas eu sou um pouco mais cético. Prefiro crer que algo de errado está acontecendo nos bastidores da Ilha e o trabalho de todo mundo acaba não rendendo o esperado.

Como posso simplesmente jogar a culpa nos astros, se o departamento médico leonino está vazio? O excesso de contusões foi a desculpa dada ano passado. Mas e agora?

Não consigo compreender também a saída de Wendel do time titular, uma vez que ele vinha jogando muito bem, principalmente dando cobertura às subidas de Renê. Certamente, não é culpa dos astros a quantidade de gols que o Sport vem sofrendo nas costas do lateral-esquerdo.

Eu estou de fora do clube, não convivo diariamente com a equipe, nem acompanho seus bastidores presencialmente. Mas eu, como bom torcedor rubro-negro e entusiasta do futebol, leio, escuto e presto muita atenção no que é dito pelo nosso treinador. Observem que esta série negativa se iniciou justamente após a derrota diante do Santos pela Copa do Brasil. Naquele momento, quando os torcedores se dividiam entre a possibilidade de seguir na competição ou disputar a Sul-Americana, Eduardo jurou de pés juntos que a prioridade era seguir na copa nacional. Isso me colocou uma pulga atrás da orelha, pois desde o final do ano passado, a diretoria anunciava que o Sport tinha um projeto para conquistar o título continental.

Pois bem, diante do Bahia na Sul-Americana, mais um fiasco. Quando todos esperavam que o clube se empenhasse para fazer bonito, Eduardo anuncia a escalação de um time misto e afirma que a prioridade é a Série A. Isso me deixou extremamente confuso! E me pergunto como ficam as cabeças dos comandados de Eduardo Baptista.

Não adianta cornetar gratuitamente o time, nem quero também pedir aqui a cabeça do treinador. Só quero evidenciar que não é por acaso que estamos atravessando esse mau momento. Isso tudo se deve a uma gestão confusa e incoerente que precisa ser recolocada nos eixos com urgência.

Na quarta, temos um jogo decisivo que pode começar a nos salvar de um ano medíocre. Por isso, eu peço a Eduardo que esqueça tudo o que não diz respeito a futebol, entre com força máxima e encerre de vez essa má fase. Não importa como você prefere chamar, inferno astral ou erros de gestão. O que importa é fazer o Sport vencer de novo!

Alex Amaral mora no Rio de Janeiro e é colunista do site Canelada F.C.

O texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Leões do Cerrado.

rodape1

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *